9 de junho de 2017

PRAZER FAMILIAR

Olá, me chamo Arthur Claro, sou o autor deste conto fictício com pitadas de realidade, convido você (leitor(a)) a ler este simples fato que criei, se acomode aonde te deixe confortável, recomendo se haver masturbação deixe para o final do conto.



Estava começando as férias de final de ano, quando Kátia anunciou para Miguel que a tia Clara iria passar as festas com eles, Clara tinha 30 anos na época e Miguel tinha 26 anos, eles quando eram crianças viviam como dois irmãos, pois moravam na mesma casa e Kátia cuidava dela, já que a avó estava acamada e o avô tinha morrido. Miguel ficou contente, pois estava com saudades da tia que era quase uma irmã, ele estava concluindo a faculdade e queria muito que ela estivesse presente e fosse a madrinha de formatura, ele estava contando as horas para poder vê-la, ela tinha ido morar em Liverpool por causa do intercâmbio da faculdade dela, a semana passou voando e finalmente chegou o sábado que ele tanto queria, pois seria o baile da formatura e a tia estava chegando, Miguel foi até o aeroporto para esperar ela e a trazer para casa. Ele estava no saguão esperando o desembarque, quando viu uma morena de seios fartos e cintura larga, muito linda, vindo na sua direção, era muito linda, ele já tava ficando de pau duro, quando conseguiu ver era a Clara, ela tava muito linda, fazia tempo que eles não se viam, mas ela sempre foi linda, ele que nunca tinha olhado pra ela com outros olhos além de sobrinho e irmão, então se cumprimentaram com dois beijos nos rostos, ele pode sentir o perfume dela e fez de tudo para ela não notar a excitação dele, ele como cavalheiro pega as malas dela e foram para o carro, ficaram conversando sobre diversos assuntos no caminho até a casa. Em casa, ele deixa as malas da tia no quarto da mãe, enquanto as duas conversavam na cozinha, ele decide ir dar uma volta para tirar a sensação de ficar com tesão pela tia, ele resolve ir andar a pé mesmo para distrair, andou sem rumo por vários quilômetros, até que ficou cansado, parou numa padaria, comprou um suco de laranja para refrescar e um salgado, ele ficou comendo e recompondo as energias para voltar para casa, ao chegar em casa Miguel vê quando Clara sai do banheiro enrolada numa toalha no corpo, os seios dela estavam quase saindo da toalha, ela caminha até ele e o beija na bochecha dizendo ao pé do ouvido:
- Miguel, você tá um gato, fiquei muito excitada quando te vi me esperando no aeroporto.
Ele fica um pouco sem graça, mas diz que é recíproco o tesão, os dois se olharam mudos, ele entra no banheiro e ela vai para o quarto da irmã se trocar, depois Kátia, Clara e Miguel foram almoçar em um restaurante, durante o almoço eles conversavam e riam das lembranças do passado. As horas passam e chega a noite, Clara resolve colocar um vestido longo preto que se molda as suas curvas e com um belo decote, um sutiã preto também com alças de silicone transparentes e não colocou a calcinha para não marcar no vestido, ela tava muito linda, Kátia vestiu um vestido simples também longo porém azul e Miguel estava de terno preto, camisa branca, gravata azul e uma calça social preta, estavam todos elegantes e foram para o baile de formatura. Eles se divertiram e beberam até raiar o dia, os três foram quase os últimos a sair do salão, então foram pra casa, chegando lá Kátia foi direto pro seu quarto e dormiu sem tirar o vestido, Clara e Miguel estavam ainda animados, foram os dois para o quarto, ele tirou as roupas ficando só de cueca, então ele vira para a tia e diz:
- Não tenha vergonha, tira o vestido, já te vi várias vezes só de calcinha e sutiã.
- Não estou com vergonha, é q estou sem calcinha. Responde ela sem pestanejar.
- Dá nada não tia, eu não ligo de te ver nua. Miguel diz com semblante de safado.
Clara então tira o vestido, tira o sutiã e deita na cama de Miguel, ele só olha e resolve deitar no chão, nisto ela diz:
- Para de ser bobo, deita aqui comigo na cama, como nos velhos tempos.
Ele então deita de costas pra ela escondendo o pau que estava duro, ela viu e retrucou:
- Para de esconder este pau, deixa ele livre e deita certo.
Foi então que Miguel foi até a porta e trancou para que a sua mãe não visse a cena deles dormindo nus, ele voltou pra cama e tirou a cueca, ao deitar na cama Clara beijou o peito dele e passou a mão no pau dele, ele deu uma tremida porém gostou do contato, ele se esqueceu momentaneamente que eles eram sobrinho e tia, ele em resposta acariciou os seios dela e a beijou, os dois estavam parecendo namorados, ela então começou a masturbar ele bem levemente e ele chupava os seios dela, o tesão tava a todo vapor e eles estavam se entregando, foi então que Clara deitou de lado fazendo um 69, ela abocanhou o pau dele como uma vontade que fez ele gemer, ele então para retribuir começou a dar linguadas na xana lisinha dela, também passava a língua entre o ânus e a xana dela, ficaram se chupando até que acontece um orgasmo simultâneo, ele enche a boca dela que engole tudo sem perder uma gota, ele também lambe todo o orgasmo dela, depois disto os dois dormem. 
Mais tarde daquele dia, próximo do meio dia, Kátia desperta, vai até o banheiro, toma um banho e vai procurar algo pra comer, nisto Clara desperta veste o vestido, dá um beijo de leve nos lábios de Miguel e vai até o banheiro, toma um banho para relaxar, ao sair do banheiro vai para o quarto da irmã se vestir, meia hora depois Miguel desperta, veste um shorts sem cueca, com a boca seca vai até a cozinha beber água, ao chegar na cozinha encontra a mãe e a tia rindo, as duas estavam lembrando dos fatos do baile da noite anterior, Miguel enche um copo de água e mata em um gole só e enche novamente o copo, nisto Clara fala ironicamente:
- Tem alguém que acordou de ressaca!
Nisto os três riram sem parar, Miguel se juntou a elas na mesa, ficaram conversando, rindo, comendo e relembrando os fatos engraçados que ocorreram no baile, foi então que Kátia se levantou e foi até a geladeira, nisto Clara vira para Miguel e diz provocando:
- Querido, hoje cedo foi bom, eu gostaria de repetir, será que você aguenta?
- Lógico, você que vai pedir água. Disse Miguel sorrindo.
- Aliás, gostei de ver que o seu pau cresceu desde da última vez que tomamos banho juntos. Clara disse sarcasticamente.
- Óbvio que ele cresceu, isso faz quase 15 anos.
Eles dois riram e foram pra sala assistir TV, enquanto Kátia ficou na cozinha lavando a louça, Clara sentou em um sofá, Miguel resolveu deitar no chão, ele ligou a TV, começou a rodar os canais, mas nada agradava ele e nem a Clara, foi então que na TV passou uma chamada de um filme, os dois ficaram interessados em ver, então Miguel vai até o seu quarto pego o colchão da sua cama para colocar na sala, ele deita convidando Clara para deitar junto, ela mais do que depressa aceita deitando, o filme começa com uma cena de um casal nu se beijando embaixo de uma cachoeira, meio que inconsciente Miguel fica excitado, ele tenta disfarça, mas como ele está somente de shorts sem cueca, ficou complicado, Clara percebeu porém fingiu continuando atenta ao filme, Kátia acaba de lavar a louça, resolve fazer alguns afazeres domésticos, ela não tava interessada em ver filme, o filme foi para o comercial, Clara levanta alegando que vai no banheiro, ao se acomodar para levantar ela dá uma encostada de leve com a bunda no pau de Miguel, ele ainda tava excitado, ela caminhou até o banheiro, fechou a porta, abaixou a saia jeans, abaixou a calcinha, sentou na privada e urinou, se limpou, se levantou, na hora de subir a calcinha, decidiu ficar sem, tirou a calcinha, levantou a saia, lavou as mãos e saiu do banheiro, ao voltar para a sala ela passa pelo quarto de Miguel, ela entra para colocar a calcinha dentro do bolso de uma calça jeans dele, a calcinha é tão pequena que não faz sem volume, a calcinha é fio dental da cor preta, então Clara volta pra sala se acomodando novamente no colchão. As horas passaram, o filme acabou, Miguel resolve ir até a padaria, enquanto isso Clara continua deitada no colchão trocando de canais, nisto Kátia diz para que Miguel fique em casa, que ela iria no supermercado, pois precisava comprar algumas coisas para casa e já pegava o pão, ele concorda sem relutar, Clara escuta, abre um sorriso malicioso, se levanta do colchão, vai até Miguel e diz ao pé do ouvido:
- Vamos aproveitar esta oportunidade ou você tem medo?
- Não tenho medo, eu rio na cara do perigo. Disse Miguel rindo.
Foi só Kátia sair, Miguel pega Clara pelos braços, beija a nuca dela, passa as mãos na bunda dela, ela corresponde passando de leve as unhas nas costas dele, ele se atreve colocando uma mão por baixo da saia, ele então sente a xana lisinha dela já babando de tesão, ele sorri ajoelhando para poder lamber com gosto aquele mel que saia com abundância, ao encostar a ponta da língua na entradinha da xana, Clara solta um gemido alto implorando uma boa linguada e com as mãos empurrou a cabeça de Miguel contra a xana, ele começou passando a língua com movimentos circulares lentos no clitóris dela, depois com movimentos rápidos de cima para baixo e de baixo para cima mais fundo, voltou para os circulares e depois de cima para baixo, ficou alternando fazendo que Clara tivesse uns três orgasmos seguidos, ela então fala para trocarem de posição, Miguel fica de pé e Clara que se ajoelha, ela já começa tirando o shorts dele beijando a barriga dele, descendo até a virilha, beija as partes interiores da coxa dele, beija o saco dele, coloca as bolas na boca e masturba ele de leve só para excitar um pouco mais, quando ele solta um gemido para ela foi um sinal de engolir o pau dele por inteiro, ela então passa a língua por toda a cabeça e engole de uma vez o pau dele fazendo movimentos de descer e subir a cabeça, ele então segura a cabeça dela em baixo a forçando ficar com o pau chegando na garganta, ele então começa a gozar, ela vai engolindo cada jorrada, ele acaba de gozar, quando eles iam para o banheiro tomar banho para tirar o suor, ouviram que Kátia estava chegando, Clara foi para o banheiro correndo e Miguel foi para o quarto e deitou no chão fingindo que tava fazendo abdominal, Kátia entrou e não percebeu nada de errado ou fingiu não ter reparado. Só mais tarde saberemos o que aconteceu.

Quero agradecer a leitura, espero que este conto te proporcionou tesão e que te deixou com vontade de retornar a ler mais contos escritos por eu. A imagem que ilustra este conto, eu achei no Google e editei no PicsArt. Beijos e abraços, até a próxima, em breve sai a continuação.

Um comentário: